Como desejei que estivesse aqui

Após meses planejando este blog, achei bacana contar como foi a decisão de se tornar mãe. E o título é bem esse mesmo, desejei muito esta gravidez.

Passados 7 anos de casamento, eu e meu marido decidimos que havia chegado a hora de termos um filho, a decisão veio em contrapartida com a vontade de comprar um apartamento maior e fazer uma viagem para o exterior. Bom, tenho um defeito, sei lá se é, mas enfim, tudo tem que ser muuuuuito bem planejado. Meu marido é super tranquilo, a desesperada sou eu, cada hora pensava alguma coisa, “ahhhh mas se vendermos o apartamento e eu engravidar, acho melhor ficarmos aqui mesmo”, “ahhhh mas se fizermos essa tal viagem vamos gastar muito dinheiro e não teremos para comprar as inúmeras coisas que a chegada de um bebê exige” entre um “se” e outro “se”, resolvemos então tentar um filho. Desistimos da viagem e a venda do nosso apartamento deixou de ser o foco, mas o anúncio da venda ficou nas Imobiliárias, pensamos: “deixa lá e se aparecer alguém!?!?!?!?!”.

Lembrem-se do que eu falei, tudo tem que ser muuuuuito bem planejado e a saga começou em Novembro de 2011, marquei uma consulta com minha ginecologista para fazer os exames necessários antes de engravidar, todos normais, ótimo, pensei: “vamos lá então!”.

Dezembro 2011…., Janeiro 2012…., Fevereiro 2012…., Março 2012…., Abril 2012…., e nada! A ansiedade em pessoa aqui chorava a cada mês, houveram meses que a menstruação atrasava 20 dias, “ehhhhh jurava que estava grávida”, mas meu medo de olhar para o resultado negativo era tanto que eu deixava para fazer o teste quase 30 dias depois do atraso e engraçado no dia em que eu resolvia fazer o teste, “argggggg lá estava ela”, cheguei a pensar em algum problema, mas minha ginecologista explicou que para começarem a investigar são necessários 2 anos de tentativa, os exames para detectar a impossibilidade de conceber são extremamente invasivos e doloridos.

Meu marido decidiu procurar um médico Urologista para fazer alguns exames também e as palavras do médico foram essas: “Luciane, você está ansiosa demais, tudo no seu tempo, os exames do Paulo estão normais” e complementou: “se o senhor pendurar a cueca no varal é capaz da vizinha engravidar”, bem humorado este médico, não acham?

Fomos para a casa confiantes e eu tentando deixar essa vontade louca de engravidar um pouco de lado, mas não adiantava, minha agenda era toda marcada com bolinhas, “x” e afins indicando: período fértil, data da última menstruação e o dia d…., minha ginecologista quando viu pediu para que eu jogasse aquilo no lixo, pois eu ia acabar pirando qualquer hora! E fiz! Literalmente arranquei todas as páginas do calendário da agenda, rasguei e foram para o lixo.

Voltamos a pensar na possibilidade de fazermos a tal viagem para o exterior, mas eu ainda insistia “ahhhh mas vai que eu engravido”, e nessa de tanto “achismo” ficou muito em cima da hora fecharmos uma viagem para o exterior, então decidimos viajar para Porto de Galinhas em Pernambuco, era Novembro de 2012, adoramos o lugar, é lindo e descansamos muito.

O ano de 2013 chegou e com ele os desejos, planos e a esperança de vê-los realizados. Em Março recebo a ligação de uma corretora de imóveis, lembram do comecinho da história, eu não tinha excluído o anúncio da venda nas imobiliárias. Então, um casal estava interessado em comprar nosso apartamento, me lembro que era uma quinta-feira e foram conhecer o apartamento no mesmo dia. Depois da visita comentamos: “e se quiserem comprar, o que vamos fazer?”, meu marido com toda tranquilidade do mundo: “deixa rolar e ver no que vai dar”, no dia seguinte a corretora de imóveis me ligou fazendo uma proposta, dissera que o casal adorou o apartamento e era exatamente o que estavam procurando. A decisão tinha que ser rápida, afinal na época não estava tão fácil assim vender um imóvel. A decisão foi pela venda!!!

O prazo estabelecido para entrega das chaves foi de 90 dias e solicitamos para a corretora nos ajudar com a procura de um apartamento para nós, mas certeza que não teríamos tempo hábil para reforma, decidimos então ficar na casa dos meus pais e assim poderíamos planejar a reforma com calma.

A conclusão de toda a papelada da venda foi feita em Abril, final de Julho era o prazo estabelecido para entrega das chaves do apartamento, começamos a preparar a mudança, fomos empilhando as caixas no quarto que seria do futuro bebê. Em Junho conseguimos encontrar nosso novo cantinho, as caixas com nossas coisas foram divididas em duas: haviam caixas com os itens que íamos utilizar durante a estadia na casa dos meus pais e caixas com itens que não seriam necessários no momento, estas foram trazidas para o nosso novo apartamento. Durante o mês de Junho foi assim, encaixotar coisas e desce, desce de caixas, ahhhh não contei que nosso antigo apartamento não tinha elevador, era um condomínio com blocos de 4 andares cada, morávamos no último. Meus pais ajudaram na mudança e no começo do mês de Julho faltava pouca coisa para encaixotar e finalizar a mudança. Foi no começo deste mesmo mês que me dei conta que minha menstruação estava atrasada, era 9 de Julho, um feriado, acordamos, tomamos nosso café e comentei com meu marido sobre. Ele comentou: “faz o teste e tira a dúvida” e pensei “mas será”, “será mesmo”, “depois de tanto tempo”, decidi fazer o teste de farmácia somente no dia seguinte e veio a confirmação, eu estava grávida, não dei pulos de alegria, não gritei, pois eu não estava acreditando no teste da farmácia, contei para o meu marido enquanto ele tomava banho e ele respondeu “ah é”, acho que estávamos hipnotizados, ou simplesmente não acreditando que aquilo estava acontecendo.

Fui para o trabalho, durante a manhã toda estava aérea, totalmente desligada do ambiente atual, na hora do almoço, fui almoçar com duas amigas, as duas no qual eu justamente queria dividir a minha descoberta, quando contei, elas sim gritaram, comemoraram e me convenceram a fazer o exame de sangue, o resultado saiu em dois dias, eu estava grávida, gravidíssima e feliz!

Como foi a gestação, a experiência mês a mês, os preparativos, isso tudo vocês saberão ao me acompanharem aqui no blog.

Alguém mais com uma história parecida! Escreve pra mim ou aqui nos comentários.

Beijos

2 comentários

  1. AvatarBruna comentou:

    Que historia linda Lu, com certeza bem parecida a de muitas mães que desejam tanto esse momento. Não é por acaso que a Rafa e tão querida e amada.
    Amei o texto, parabéns, sucesso, aguardo os próximos!!!!

    1. Bruna, obrigada! E é Verdade muitas mães lutam muito para ter seu sonho realizado.

Deixe seu comentário!