5 atitudes para ajudar seu filho a superar os medos!!!

Créditos: Freepik.com

Ser criança nem sempre é fácil, enfrentar o medo do escuro, de perder os pais, entre outros assombros, pode ser um desafio para os pequenos .

Medos fazem parte da vida, tanto de adultos quanto de crianças.  Mas quando somos pequenos, o medo geralmente vem associado ao escuro, ao medo do monstro que está atrás da porta ou embaixo da cama, e até mesmo de perder os pais.  As crianças se sentem vulneráveis e desprotegidas em um mundo onde tudo é novidade para elas, e o grande desafio para os pais é saber como lidar com os medos que assombram seus filhos, principalmente na hora de dormir.

Os pais são as figuras que transmitem confiança para as crianças e cabe a eles ensinar como enfrentar essas sensações de insegurança de forma saudável. “Quando a criança apresenta medo é preciso ter calma. O medo faz parte da infância e deve ser validado e acolhido. Quando a criança encontra apoio para lidar com essa emoção tão importante, o medo deixa de ser paralisante e tende a diminuir” explica Telma Abrahão, educadora parental, especialista em inteligência emocional e em perfil comportamental, e autora do Best Seller “País que Evoluem***.

Segundo a educadora parental, quando os pais  forçam a criança a lidar com o medo sozinha, as coisas podem piorar porque essa emoção é real. É preciso acolher o medo de seu filho com empatia. Se essa validação não ocorre e a criança é empurrada a se virar ou a ser “corajosa” sozinha, a tendência é que o medo aumente cada vez mais, pois não haverá espaço para a razão para acalmar essa emoção. “Acalme seu filho para que ele possa começar a usar a razão para entender essa emoção do medo. Fale: “filho, estou aqui. Tudo bem sentir medo, eu também sentia quando era criança. Me fala mais sobre o que você sente”, orienta Telma.

Confira cinco atitudes para ajudar seu filho a superar os medos, listados por Telma Abrahão:

1.       Valorize cada atitude da criança para superar essa emoção;

2.       Mostre que você está ao lado dela não importa o que aconteça e que ela pode contar com o seu apoio;

3.       Mostre empatia. Conte uma história de medo e superação da sua infância;

4.       Valide essa emoção. Sentir medo na infância é natural.  Demonstre que está tudo bem se sentir assim;

5.       Pergunte: Como posso ajudar você?

Sobre Telma Abrahão

Educadora Parental, especialista em Inteligência Emocional e em perfil comportamental. Fundou a escola de pais Positive Parenting Education, localizada na Flórida, nos Estados Unidos, onde vive com sua família e dedica todos os seus esforços para levar aos pais a importância da reeducação emocional na construção de uma maior conexão na relação com os filhos. É formada em Biomedicina há mais de 20 anos e uma das pioneiras no Brasil a unir ciência à educação dos filhos.

***Link patrocinado – como associado da Amazon, eu recebo por compras qualificadas.

Deixe seu comentário!